Me Acharam?

QUERO QUE VOCÊ VEJA QUEM SOU: ESSA SOU EU: . TÁ ME VENDO?! NÃO?! VOU TE MOSTRAR DE NOVO: . AGORA VIU NÉ?! AINDA NÃO?! CHEGA MAIS PERTO E OBSERVA: . AGORA VIU, NÉ?! QUE BOM QUE ME ENXERGOU! EU SOU MESMO ESSE PONTINHO, NO MEIO DO UNIVERSO.

Definir ausência...


Ausência é o que percebemos daquilo que não está presente.
É o vazio deixado pelo que já foi ou que nunca veio, mas existe.
A ausência provaria a existência, pois só o que existe pode ausentar-se. Será?
Posso dizer: - A minha alegria existe, mas está ausente.
E será que, em dizendo isso, possa perceber o vazio deixado pela alegria que não está?
O fato de algo existir pressupõe um lugar onde possa ou não estar?
Ou o fato de existir tal lugar nega a possibilidade de algo ausentar-se?
A percepção da ausência anularia a própria ausência?
A ausência não percebida nega a existência?
Pode algo ser ausente de modo relativo?
Presente para mim, ausente para o outro?
Ou nossas percepções são apenas nossas e algo que eu percebo e o outro não, existe para mim e não existe para ele?
Ou só existe se ambos percebem?
Existência relativa?
Pode um sentimento atravessar seus dias, tornar-se uma presença quase física e não gerar nem ausência?
Não ser perceptível?
Não existir de fato?
Ser só uma criação sua. E , se for só uma criação da sua vontade, pode ser destruído por força desta mesma vontade?
O que determina a ausência?
Uma presença anterior?
Estando ausente a causa estará ausente o efeito?
Ausentando-nos da causa podemos fugir do efeito ?
Anular o efeito?
Suprimir o efeito?
O que será que dói mais?
A ausência não percebida?
Ou, com minha ausência, tornar ausente o sentimento em mim?...

1 comentários:

Achei muito lindo o texto tentando definir ausência,e refleti a respeito das coisas que são presentes em minha vida.Descobri muitas!